14/03/2018

Dicas para utilizar o câmbio automático

Você faz parte do time que ainda acha o câmbio automático um bicho de sete cabeças? Pois saiba que a cada dia, mais motoristas estão aderindo à utilização deste tipo de transmissão, tornando-a mais popular. A maior vantagem desta troca é poder dar “férias” para o seu pé-esquerdo, já que a principal diferença é a ausência do pedal de embreagem, de forma que somente o pé direito seja movimentado entre os pedais de freio e do acelerador.

Sendo assim, para ajudá-lo na utilização do câmbio automático, trouxemos para você algumas dicas de como funciona a transmissão automática para ajudar na sua durabilidade.

Para começar, nada melhor do que conhecer o significado de cada um dos comandos do câmbio automático. Veja abaixo e saiba suas respectivas funções:

P – Park: Esta função serve basicamente para estacionar e é altamente recomendado para dar a partida e desligar o motor do carro, pois bloqueia as rodas de tração.

R – Reverse: Este nada mais é do que a marcha à ré. Essafunção é acionada com o auxílio de um botão acoplado de câmbio.

N – Neutral: A função Neutra é o popular ponto morto. Posição que pode ser usada ao dar a partida e desligar. Esta função não bloqueia as rodas de tração.

D – Drive: para movimentar o veículo para frente, usado na maior parte do tempo, cabendo ao motorista acelerar e frear.

4 – 3 – 2 – 1 (L): posições que permitem o bloqueio das marchas. O bloqueio é usado em situações extremas, quando o veículo troca várias vezes de uma marcha para outra, impedindo que o veículo troque as marchas automaticamente.

Já sabe os comandos e para que cada um serve? Conheça agora as duas principais diferenças entre a transmissão automática e a manual:

Não existe pedal de embreagem.

Não se efetua troca de marchas. Quando você coloca a alavanca seletora em “Drive” (D), as trocas são automáticas.

Mas é claro que existem outras diferenças, como, por exemplo, a forma de ligar o carro, quando é preciso pisar no pedal do freio antes para acionar a ignição, depois liberar o engate e mudar o câmbio da posição P – Park para a posição D – Drive e só, então, soltar o freio de mão. Fique atento.

E as peculiaridades não ficam só na partida, também há características para engatar a marcha à ré,” R – Reverse”. O automóvel deve estar totalmente parado, para evitar danos na caixae antes de acionar o respectivo comando deve-se apertar o botão de travamento.

Você que já se animou e pretende comprar um carro novo (dica: confira nosso Guia para comprar um carro novo) e deseja incluir o câmbio automático, precisar estar ciente de alguns cuidados para evitar danos no sistema de transmissão. São eles:

Jamais engate o P com o carro em movimento. O tranco pode prejudicar a vida útil do sistema de transmissão.

Procure não sobrecarregar o câmbio com o peso do veículo. Ao parar, coloque a alavanca na posição neutra, puxe o freio de estacionamento e só então coloque na posição P.

Ao subir ladeiras muito íngremes e com o carro muito carregado, o motorista deve engatar manualmente a marcha 1 ou L (Low). Esta é a marcha de maior força do automóvel.

Com o “boom” no mercado e a alta procura pelos veículos com marchas automáticas, é importante estar atento a estas dicas para não acabar tendo prejuízos e dores de cabeça.

Gostou das dicas? Sabe mais alguma que pode ajudar e quer compartilhar conosco? Então, não perca tempo. Vá até nosso Facebook e sinta-se à vontade para compartilhar suas ideias.

Fonte: Caranddrivebrasil Terra

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Senhores, Show de informação. Simples e objetiva. Fácil o entendimento. Deveria ser colocado dentro do porta luvas de cada veículo automático locado.

    Silvia Macias - 20 mar 2018 Responder