02/03/2016

Key Performance Indicator

Técnica de análise e gestão conhecida em português como Indicador-chave de Desempenho, os KPIs (Key Performance Indicator) são métricas que fornecem visibilidade sobre o desempenho de determinado negócio e seu impacto na organização. Funciona como um veículo de comunicação, garantindo que todos os níveis hierárquicos e departamentos de uma empresa compreendam a forma como seus trabalhos contribuem para o sucesso ou fracasso do cumprimento dos objetivos da companhia.

Facilitadores da transmissão da visão e missão de uma empresa, esses indicadores permitem analisar sistematicamente o desempenho de qualquer atividade que possa ser mensurada objetivamente. O acompanhamento constante torna as avaliações de desempenho mais justas e força um foco maior nos resultados positivos e agregadores, além de fornecer um norte a todos na organização.

Na área de Operações, os KPIs são extremamente necessários em virtude da dinâmica intensa. Essa dinâmica que rege as atividades dos gestores na área operacional exige que a visualização dos resultados da operação e dos seus processos seja mais simplificada e objetiva. Dessa forma, tem-se uma garantia de que as ações serão mais assertivas e o resultado do planejamento direcionado.

Os indicadores demonstram as dispersões que demandarão planos de ação para correção ou ajuste das atividades necessárias ao alcance de cada KPI. Para tanto, é necessário estabelecer uma forma de medição objetiva e clara para condicionar um referencial e evitar questionamentos quanto à apresentação desses resultados. Isso gera comprometimento dos colaboradores no alcance das metas estabelecidas e a equipe se sente parte do resultado.

Exemplos de KPI

Lead Time – Consiste no tempo de duração de um determinado processo.

 

Market Share – Fatia de mercado que um determinado produto conquistou durante um determinado período de tempo.

 

Produtividade Homem/hora – Número de unidades produzidas por cada indivíduo que trabalha na empresa.

 

Turnover – percentual de rotatividade na equipe (muito utilizada na setor logístico de entrega de bens de consumo).

 

Disponibilidade de frota – percentual de veículos disponível ao cliente em uma operação.

 

Taxa de retorno de produtos – Percentual de produtos que retornam em Distribuição urbana.

 

Taxa de ocupação / ociosidade – Normalmente utilizada em controle de armazéns.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Seja o primeiro a comentar!